Oradores

Tabagismo

Professor Doutor José Precioso

• Doutorado em Ensino de Ciências 
• Professor Associado no Instituto de Educação da Universidade do Minho 
• Membro do Conselho Científico do Plano Nacional de Prevenção e Controlo do Tabagismo

Professora Doutora Cristina Martinez

• Doutorada em Ciências Clínicas
• Investigadora da Unidade de Controlo de Tabagismo no Instituto Catalán de Oncologia – ICO 
• Membro do Grupo de Trabalho do Tabagismo da Sociedade Espanhola de Epidemiologia 
• Professora na Universidade de Barcelona e de Califórnia – San Francisco

Dra. Nina de Sousa Santos

• Doutoranda em Bioética
 Mestre em Gestão da Saúde 
• Licenciada em Direito e Pós-graduada em Ciências Jurídico-Administrativas, Direito da Saúde e Bioética

Docente de Ética e Deontologia na Universidade Nova de Lisboa, docente convidada da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra e Universidade Atlântica
• Presidente da Comissão de Ética do Instituto Ricardo Jorge e membro do Conselho de Ética da ESTeSL-IPL
• Consultora Jurídica da Secretaria-Geral do Ministério da Saúde de Portugal

Dra. Teresa Costa

Assistente Graduada de Medicina Geral e Familiar
Coordenadora da Consulta de Cessação Tabágica da USISM  
Unidade de Saúde da Ilha de São Miguel – USISM 

Moderadora

Dra. Claudia

Dra. Cláudia Carreiro Sousa

•  Assistente Hospitalar de Radioncologia
Pós-graduada em Medicina Desportiva, Medicina do Trabalho, Medicina da Dor, Acupunctura Médica, Gestão da Qualidade e Auditoria Interna
Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, EPER

Tabagismo

O consumo de tabaco constitui a principal causa evitável de doença e de morte prematura nos países desenvolvidos. De acordo com o último Inquérito Nacional de Saúde, em 2019, 17% da população residente em Portugal com 15 ou mais anos era fumadora de tabaco. A RAA apresentou a prevalência de consumo mais elevada em ambos os sexos (23.4%), 33.8% no sexo masculino e 13.8% no sexo feminino. O Plano de Ação Regional de Prevenção e Combate às Dependências tem como objetivos diminuir a incidência e a prevalência do tabagismo, melhorar a proteção dos não-fumadores e monitorizar as condições de fabrico e venda dos produtos do tabaco.